Óleo de coco é bom ou ruim?

0 comm.
Avaliação:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
800 views

0003020623B-849x565

O coqueiro é uma árvore comum em vários países de clima tropical, sua origem é um tanto controversa, pois seu fruto, o coco, é pouco denso e boia, assim ele pode ser levado pelas correntes marítimas atingindo costas ao redor do mundo. Seu fruto é composto por casca, massa branca e “água”.

O coco pode ser aproveitado praticamente em sua totalidade, desde sua água que é refrescante e nutritiva, às fibras de sua casca. Um dos derivados deste fruto é o óleo, que está fazendo sucesso pois emagrece, é antioxidante e bom para diabetes. Mas mesmo assim, existem alguns especialistas que não recomendam seu consumo, agora resta saber se o óleo é mocinho ou vilão.

Valor Nutritivo

Podemos dizer que o coco é um alimento funcional, é composto por proteínas, carboidratos, vitamina E, e entre outros componentes os ácidos graxos. Seu principal é o ácido láurico, que é um ácido de cadeia média, esse ácido também é encontrado no leite materno. De forma prática: ele é anti-inflamatório, antibiótico, estimula o sistema imunológico entre outros benefícios.

Por se tratar de um óleo, seu valor calórico é significativo, uma colher de sopa contém em média 135 Kcal, por isso o ideal é consultar um nutricionista antes de iniciar seu consumo. Também esse é um dos motivos de alguns especialistas ainda relutarem em indicar a seus pacientes.

Por que emagrece?

Parece estranho um óleo emagrecer, mas sim, ele tem esse poder. Pesquisas já foram realizadas com pacientes com quadros de sobrepeso. Ao consumirem uma colher de óleo de coco diariamente antes das refeições, perderam em média 5 kg em 30 dias, aliado apenas com uma reeducação alimentar.

O óleo de coco é um alimento sacietógeno, diminui a ingestão de alimentos nas refeições, como é de rápida digestão logo o organismo entende que está satisfeito. Além disso alguns de seus ácidos ajudam na absorção de outros nutrientes presentes no alimento ingerido.

Indicação do Óleo de coco

Segundo pesquisas ele é eficaz ao tratamento de doenças crônicas e inflamatórias, como enxaqueca.

Eficaz também a diabetes, doenças do coração e colesterol. Outros estudos apontam efeitos anticâncer e ele é capaz de inativar alguns vírus como do sarampo, herpes, bactérias e protozoários.

Bom para os cabelos, para cicatrização de feridas e infecções de pele, problemas de vesícula biliar, além de ajudar em problemas do sistema gastro intestinal.

Como encontrar e consumir

Hoje o óleo de coco já é encontrado em cápsulas, mas a quantidade ideal de consumo exige a ingestão de várias cápsulas, portanto a melhor forma é in natura.

Dê preferência ao óleo extravirgem e de boa qualidade, pois no processo de extração, o óleo extravirgem mantém suas propriedades nutricionais. Em épocas e regiões frias ele costuma ficar duro, mas, mesmo assim, pode ser consumido antes das refeições ou como substitutos de manteigas.

Ele também pode ser usado em saladas, frutas, ou para cozinhar, pois mesmo aquecido ele não se transforma em gordura trans como outros óleos, que é um grande mal para a saúde.

Uma boa dica para quem faz atividade física é incluir o óleo de coco na refeição antes do treino, o fígado rapidamente o transforma em energia, aumenta também o metabolismo, pois é um alimento termogênico.

Contraindicação do óleo de coco

Pessoas com quadros de gordura no fígado (esteatose hepática), devem consultar um médico antes de incluir o consumo de qualquer óleo na dieta. Em demais condições não há contraindicações, podendo ser consumido por gestantes, crianças e idosos.

O óleo de coco vem sendo estudado, e muitas pessoas têm bons resultados comprovado com acompanhamento médico, através deste rico alimento. O coco é de fácil acesso em muitas regiões, com custos relativamente baixo. Uma alternativa natural e acessível que pode melhorar muito sua qualidade de vida.

Por favor, avalia este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Discussions

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

O mais visitado e popular: