Quem é Você? 

6 comm.
Avaliação:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
1,735 views

Hei! Tudo bem? Quem é você?

Hei! Quem você decidiu ser hoje, aqui e agora?

Hei! De quem é a máscara que você pôs no rosto pouco antes de abandonar sua privacidade para se juntar à multidão cheia de rostos estranhos?

O mundo é um palco enorme, e sobre este palco encenamos uma peça sem fim. Incontáveis personagens entram e saem de cena a todo o momento, muitas vezes cumprindo papéis de figurantes que se repetem. Quem é você entre eles?

Você é o protagonista de sua própria história?

Ou tem medo do palco e prefere afastar-se dos olhares de uma plateia munida de tomates?

Qual é a importância de seu personagem? Ou ele é tão somente um anônimo e nada mais? Não que seja errado não querer ser notado; mesmo aqueles que se encontram nos bastidores fazem o espetáculo acontecer.

Por acaso tem o direito de improvisar e de permitir que seu personagem tenha um mínimo de autonomia e livre-arbítrio, ou alguém diz o tempo todo o que deve fazer?

Quem é que diz como deve se comportar?

É você quem escolhe suas roupas, sua comida e como deve caminhar?

Quer ainda ser alguém na vida ou você já é alguém?

Podemos encontrar o seu nome escrito nas etiquetas?

Seu rosto foi gravado em moedas?

Nem o meu, se quer saber. Mas não se preocupe com isso. Quem foi que inventou essa ideia de que isso deveria ser importante? Foi você? Ou foi outro alguém que definiu que essa deveria ser a nossa busca e que assim deveríamos pensar?

Quem você pensa que é?

Consegue ainda reconhecer a si mesmo quando se olha no espelho?

Mais importante ainda: conseguiria se reconhecer por meio de suas atitudes e ações?

Você se conhece bem?

Se ainda não foi confrontado por ter apresentado mudanças bruscas de comportamento, mesmo que essa “mudança brusca” tenha ocorrido no intervalo de um ano, pode ter certeza de que algo está fora do lugar. Pois são poucas as pessoas que ainda seguram a língua por muito tempo quando querem fazer alguma observação.

E se nunca se sentiu confuso em relação às próprias convicções quando foi confrontado pelos outros…

Ou nunca se sentiu ligeiramente incomodado ou mesmo pensativo quando descobriu que as verdades que faziam sua vida ter um propósito não eram as mesmas que davam sentido à vida alheia, e ainda riu dos outros apenas por pensarem diferente…

E se pensa que vai deixar de ser você mesmo por apenas começar a questionar suas próprias convicções momentâneas, então há algo de muito errado com você.

Oh… Estou enganado? Pois muito bem!

Fico contente por saber que se sente seguro em relação à sua identidade, e pela indiscutível certeza de saber quem você é em um mundo habitado por pessoas que ainda levam toda uma vida para pensarem por conta própria e para serem a metade do que gostariam de ser. Mas tem mesmo certeza de que tudo isso terminou?

Quem você será nas próximas horas?

Quem você planeja ser nos próximos cinco anos?

Fale-me mais de você: quem você deixou de ser?

Hoje é o primeiro dia do restante de sua vida. Tudo será possível a partir de agora.

Num piscar de olhos, tudo parece ter mudado do nada: seu mundo feito de opiniões aparentemente inquebráveis e que você pensava serem exclusivamente suas, de seus não tão eternos gostos e desgostos, e de todos os sonhos que pensava ter guardado para amadurecerem quando na realidade mofaram e apodreceram.

Você e seus pensamentos sofreram e sofrerão mutações atrás de mutações, metamorfoses atrás de metamorfoses. Nunca mais será o mesmo. Se as células em seu corpo se renovam, seria esperado que você também se renovasse; isto é, se este for mesmo o seu desejo. Quer?

Hei! Ainda saberia dizer quem você é?

Hei! De quem é esta máscara que você acabou de tirar quando voltou a si?

Hei! Quem é você a partir de agora?

Por favor, avalia este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Discussions

respostas (6) em Quem é Você? 

  1. Paulo says:

    Muito bom ! Questões fundamentais e muito incisivas ! A imagem refletida no espelho. O autoconhecimento nem sempre é fácil e desejado. . Mas sempre necessário para a evolução pessoal e social. Você escreve cada vez melhor e,nesse texto, conceitos filosóficos e políticos ficam evidentes, o que dá solidez à sua produção literária. Adorei !

    • Rodrigo Rufino says:

      Grato por suas belas palavras, Paulo! Sinal de que meus esforços estão valendo a pena. Gosto muito de transmitir verdade/honestidade em minhas palavras, e de fazer pensar. Que bom que devo conseguir expressar isso bem. Abração.

  2. Priscilla Nunes says:

    Texto perfeito. Gratidao!!!

  3. Stephanie says:

    Na adolescência eu achava que erámos apenas uma coisa e não poderíamos mudar nunca, pensava que quem mudava de ideia, era falso. Hoje, estou ficando mais velha, e a cada novo dia, olho no espelho, e tenho que decidir quem vou ser naquele dia pra enfrentar o mundo. Não estou sendo falsa, mas percebi que temos que nos adaptar para sobreviver. Algo da essência permanece, mas nas crises existenciais, não sei quem sou.

    • Rodrigo Rufino says:

      Sim, para cada fase/etapa da vida, a nossa visão a respeito de quem somos vai mudando. Adaptação é fundamental. Claro, não para se transformar de novo numa armadilha (temos que ter cuidado quanto a isso), mas para a gente suportar o mundo e as lutas diárias. Grato pelo comentário.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

O mais visitado e popular: